• sintrafap

Brigadas Digitais da CUT ganham impulso


A criação das Brigadas Digitais da Central Única dos Trabalhadores (CUT) ganhou forte impulso nas últimas semanas. Neste momento, ainda de difusão do projeto, a CUT tem se dedicado especialmente a cursos de formação. Mesmo assim, mais de mil unidades já foram inscritas na plataforma de cadastramento, com a participação de cerca de 11 mil brigadistas, em vários pontos do país. O objetivo é alcançar um milhão de brigadistas, a partir da adesão dos 4 mil sindicatos filiados à central e seus cerca de 80 mil dirigentes.

Ferramenta de luta

As Brigadas Digitais da CUT são uma ferramenta de ação da classe trabalhadora, para a defesa de direitos, da democracia e de uma sociedade mais justa para todos, como também para estimular o debate para a reconstrução do Brasil. Sua função é divulgar informação de qualidade – baseada em fatos, dados e números – e combater as fake news. As notícias falsas divulgadas pelas redes sociais têm sido usadas pelas forças reacionárias, com objetivo eleitoreiro, contra os direitos trabalhistas, o estado democrático de direito, as minorias e as organizações da sociedade civil. Até o fim de março, por exemplo, Bolsonaro tinha feito 5.145 afirmações falsas ou distorcidas, ou seja, mais de quatro lorotas por dia de mandato. Esse levantamento é sempre atualizado por Aos Fatos. Em 2021, o presidente de plantão atingiu uma média de quase sete mentiras por dia. O fato assustador não tem paralelo na história do Brasil.

Comitês de luta

As Brigadas Digitais fazem parte uma ação ampla da central para a reconstrução do país e a recuperação dos direitos dos trabalhadores, que têm sido retirados desde o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff, em 2016. Outras iniciativas são os Comitês de Luta em Defesa da Vida, do Emprego e da Democracia e a Plataforma da CUT para as Eleições 2022, apresentada aos candidatos à Presidência. As ações também estimulam a solidariedade sindical, para contribuir com a população mais pobre abandonada pelo poder público. Os Comitês de Luta são organizados em todo o país, em sindicatos, comunidades, escolas e outras organizações, também para aprofundar o diálogo com a população. Para o presidente da CUT, Sérgio Nobre, “não tem saída para essa tragédia senão derrotar Bolsonaro e, para isso, precisamos ganhar a batalha nas redes e nas ruas”.

Ramo financeiro

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) desenvolve iniciativas específicas para impulsionar a criação de Comitês e Brigadas pelas entidades representativas dos trabalhadores do ramo financeiro. No seu congresso, em abril, a entidade aprovou a formação de 300 Comitês de Luta do ramo financeiro, envolvendo cerca de 3 mil brigadas e 30 mil brigadistas. Para orientar esse processo, foi publicada uma cartilha de orientação para a criação de um comitê. A presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, valoriza a importância da organização dos trabalhadores do ramo. “Nas redes e nas ruas vamos conversar com a população porque o debate tem de acontecer em todo o lugar”, disse. Ela também destaca os temas que estarão em pauta. “Vamos mostrar a importância do banco público, como acabar com a miséria e como gerar emprego e renda. Também vamos aprofundar as ações de solidariedade. Essa é a nossa contribuição para reconstruir esse Brasil e fazer ele se tornar um país justo, solidário, fraterno, sem ódio e com amor”, completou.

Como criar uma Brigada

O processo de criação de uma Brigada Digital é fácil e leva menos de 10 minutos. São apenas três passos:

  1. Monte um grupo de WhatsApp com pelo menos 10 pessoas (pode ter até 256). Pode ser um grupo já existente.

  2. Faça o cadastro no site brigadasdigitais.com.br. Clique na tecla “Cadastre sua Brigada” e preencha as informações. Se preferir, acesse aqui a ficha de cadastramento.

  3. Para informar o “Link do grupo de WhatsApp”, faça assim: A) no celular, abra o seu grupo de WhatsApp; B) no alto da tela, clique em cima do nome do grupo; C) em baixo na tela, clique em “Convidar via link”; D) copie o link; D) cole o link na ficha de cadastramento das Brigadas.

Pronto: seu grupo se tornou uma Brigada Digital.

Como funcionam

As Brigadas Digitais têm fundamental importância neste ano eleitoral, em que os trabalhadores devem escolher candidatos comprometidos com as causas populares. No entanto, as Brigadas vão continuar após as eleições, como ferramenta de caráter permanente. As Brigadas são baseadas no WhatsApp, porque esse é o aplicativo mais usado pelas pessoas. Os materiais de comunicação, com informações importantes, corretas e de qualidade, além de recursos para rebater as fake news, são enviados aos grupos todos os dias e devem ser usados para dialogar com a sociedade sobre as questões relevantes para a vida nacional. As mensagens também podem ser compartilhadas em outros grupos no próprio WhatsApp ou difundidas em redes sociais.

Leia também

>>>>> Comitês de Luta dos Bancários começam a ser organizados

>>>>> Baixe a cartilha para criação de comitês de luta dos bancários

>>>>> Brigadas Digitais e Comitês de Luta da CUT reforçam atuação nas ruas e nas redes

>>>>> Brigadas Digitais e Plataforma da CUT incluem trabalhador no debate político

>>>>> ‘Brigadas digitais’ são para combater fake news e ampliar diálogo com a população

>>>>> Brigadas Digitais da CUT e projeto de combate a fake news repercutem fora do Brasil

>>>>> Conheça o Guia Sindical de Organização e Mobilização dos Comitês de Luta

Fonte: Contraf-CUT

6 views0 comments