top of page
  • sintrafap

Sintraf/AP reforça o compromisso com o bem-estar e saúde dos bancários do Amapá

A campanha mundial aponta as dificuldades enfrentadas na saúde e como a sociedade pode buscar melhorias.

No domingo, 7 de abril, comemorou-se o ‘Dia Mundial da Saúde’, e este ano com o tema “Minha saúde, meu direito”, a campanha defende a garantia de atendimentos de saúde de qualidade pelo mundo. O assunto é uma das pautas de luta e defesa do Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Estado do Amapá (SINTRAF/AP), que atua na fiscalização e cobrança por melhorias nos cuidados dos empregadores com seus trabalhadores e trabalhadoras, sempre visando a qualidade de vida dessas pessoas.

Alguns dos problemas relacionados à má qualidade na saúde no ambiente de trabalho são as Lesões por Esforço Repetitivo (LER/DORT), dores pelo corpo, saúde mental fragilizada, refletindo em ansiedade, depressão e estresse em níveis alarmantes. Estes fatores são determinantes para a produtividade e desempenho satisfatório no local de trabalho, por isso o Sintraf/AP e outras organizações do ramo financeiro lutam constantemente por um local adequado de trabalho para os bancários e bancárias.

Durante estes anos de luta sindical o Sintraf/AP, garantiu diversas conquistas para os trabalhadores e trabalhadoras do ramo financeiro do estado. Após cobranças, os bancos ofertaram o plano de saúde, com a garantia de atendimentos de qualidade e fácil acesso. Outros avanços são o auxílio-alimentação, odontológico e licença à maternidade, estes benefícios são uma demonstração que uma boa qualidade de vida é decorrente de diversos fatores além da saúde física e mental, mas também de boas condições de vida.

Outra ação importante para esta causa é a campanha “Menos Metas, Mais saúde”, realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), que visa mostrar os desafios enfrentados pelos bancários e bancárias no cotidiano, cobrando melhorias na garantia de saúde dos funcionários e através da informação levar o conhecimento sobre os direitos que devem ser garantidos para todos os trabalhadores e trabalhadoras.

A iniciativa #BoraConversar também faz parte da campanha e contribui muito nesta luta por bons padrões de saúde, o movimento tem como principal objetivo é denunciar os impactos que as metas abusivas têm na saúde destas pessoas. Apresenta também um local seguro para o compartilhar experiências relacionadas ao assédio moral no ambiente corporativo e cria um local de diálogo aberto e confidencial, e debate ações para solucionar esses desafios. Estas movimentações criam um ambiente laboral mais humanitário e seguro.

Para a diretora de saúde do Sintraf-AP, Dayane Machado, movimentações como estas são indispensáveis para a garantia do direito à saúde dos trabalhadores do ramo financeiro do Amapá, e reforça a atuação do sindicato na fiscalização da eficiência deste direito conquistado.

“A saúde é primordial e é importante que haja avanços para categoria bancária. A prevenção e o cuidado com a saúde são necessários para garantir o bem-estar de todos, e jamais devemos deixar de promover campanhas em prol dessa causa. O Sintraf-AP está sempre atento às questões relacionadas à saúde e busca constantemente melhorar as condições de trabalho dos bancários e bancárias do Amapá”, ressalta a diretora.

Dia Mundial da Saúde

A saúde global tem gerado grande preocupação, principalmente quando olhamos para os conflitos existentes pelo mundo, a dificuldade de acesso a serviços básicos de saúde, degradação ambiental, dentre outros pontos, são fatores importantes para analisar as condições de saúde na sociedade. Para debater essas dificuldades e perspectivas para avanço na saúde do mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) todos os anos, no dia 7 de abril, comemora o Dia Mundial da Saúde. O tema deste ano é “Minha Saúde, meu direito”, para defender a igualdade e qualidade e democracia nos serviços de saúde.

No Brasil, segundo o Estudo Institucional n.º 8: Estimativa de Recursos Necessários para Ampliação da Estratégia Saúde da Família (ESF), de 2019, apontou que 72,9 milhões de brasileiros ainda não estavam sendo devidamente atendidos pelo programa de assistência à saúde. Também apontou que as regiões norte e nordeste são as que mais sofrem com esta falta de cobertura.

Os dados mostram a importância do debate sobre o tema deste ano “Minha saúde, meu direito”; o intuito é defender o direito de todos ao acesso a serviços de saúde, educação e informação, água potável e outras condições que refletem na saúde da população em qualquer parte do mundo. A data cria o diálogo para os governos, entidades de saúde e profissionais da área se sensibilizarem sobre as temáticas e trabalharem em cooperação para promover melhorias e o bem-estar para todos, independentemente de localidade, raça, gênero ou orientação sexual.


Fonte: Giovane Brito - Redação Sintraf/AP


76 views0 comments

Comments


bottom of page