top of page
  • Writer's picturesintrafap

Sintraf/AP realizou conferência estadual com bancários e bancárias do estado do Amapá

Updated: May 2

Os trabalhadores do ramo financeiro durante o encontro apresentaram suas reivindicações para a construção de melhorias e manutenção de direitos.


Conferência reuniu trabalhadores e trabalhadoras do Amapá | Foto: Giovane Brito

Para ouvir os anseios dos trabalhadores e trabalhadoras dos bancos privados e públicos, o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Estado do Amapá (Sintraf/AP) realizou no sábado (20) a 'Conferência Estadual das Bancárias e Bancários do Amapá 2024'. O momento teve o intuito de ouvir as reivindicações desses trabalhadores para a elaboração da minuta, que será apresentada na conferência nacional deste ano. Também foram definidos, por meio de votação, as delegadas e delegados que vão representar a classe nas discussões específicas dos bancos, e na conferência nacional. Debates importantes para a elaboração e manutenção do Acordo Coletivo da convenção de trabalho, realizados pela Confederação Nacional de Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT).

Os diálogos apresentados durante o encontro foram mediados pelo presidente do sindicato, Samuel Bastos, pela secretária-geral, Bruna Athayde, e pelo diretor administrativo e financeiro, Edson Gomes. A conferência contou com a presença da representante da Central Única dos Trabalhadores Nacional (CUT-Nacional), diretora-executiva da Contraf-CUT e ex-presidente do Sindicato dos Bancários do Pará, Rosalina Amorim, que discursou sobre a conjuntura do ramo financeiro no Brasil e os desafios para fazer frente ao poder do sistema financeiro para a construção da campanha salarial, pautas a serem consideradas pelos trabalhadores e trabalhadoras.


Representantes da classe trabalhadora do ramo financeiro| Foto: Giovane Brito

Participaram do encontro de escuta e debate os trabalhadores e trabalhadoras dos bancos Caixa Econômica, Bradesco, Santander e Banco do Brasil, os quais destacaram as dificuldades enfrentadas no cotidiano do exercício laboral e apresentaram suas reivindicações de melhorias.


A secretária apresentou os principais temas de luta do movimento| Foto: Giovane Brito

Para a Secretária de Mobilização e Relação com os Movimentos Sociais da CUT-Nacional e diretora-executiva da Contraf-CUT, Rosalina Amorim, os trabalhadores do ramo financeiro têm a vantagem de serem uma categoria bancária com uma forte organização nacional, mas ela reforça que ainda sofrem com a conjuntura de precarização da profissão e destaca a importância do debate entre os trabalhadores e trabalhadoras.

“ Hoje nossa campanha salarial e nosso acordo coletivo tem a previsão de 2 anos, o que garante por mais tempo nossos direitos e benefícios. Ainda assim iniciamos a construção da campanha salarial com muita antecedência para organizar com qualidade a minuta de reivindicação, para assim conseguirmos dialogar com a Fenaban e com os bancos em suas pautas específicas”, conta Rosalina.


Os grupos debateram as demandas específicas dos bancos| Fotos: Giovane Brito

Após o debate sobre a conjuntura das campanhas de lutas dos movimentos sindicais, os trabalhadores e trabalhadoras reuniram-se para as discussões das demandas específicas dos bancos. Os grupos relataram os problemas encontrados para o pleno exercício do trabalho, questões relacionadas à saúde, reajuste salarial, carga horária de trabalho e qualidade dos direitos conquistados.


A votação para construir a minuta e escolha dos delegados e delegas| Foto: Giovane Brito

Após apresentadas as propostas, reunidos e mediante votação, foram escolhidas as demandas para a minuta que será apresentada na conferência nacional. Dentre as pautas de prioridades estão a cobrança abusiva da coparticipação em planos de saúde, vale-alimentação com adequação conforme a inflação dos alimentos, retomada do vale-cultura e melhorias dos índices de reajuste salarial, pauta tema da campanha nacional por melhorias salariais para a classe, estas são algumas das demandas apresentadas.

Também foram definidos os delegados e delegadas que representarão os trabalhadores e trabalhadoras das conferências específicas dos bancos e a nível nacional. Para o Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB), Samuel Bastos foi escolhido; o Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef) terá a presença do Edson Gomes, da Elisenda França e do Dilermano Batista, que representará os aposentados. No Encontro Nacional dos Funcionários do Banco Santander, a secretária-geral Bruna Athayde foi a escolhida.


A conferência é o primeiro passo para as mesas de negociações | Foto: Giovane Brito

Para levar as demandas e reivindicações para a 26ª Conferência Nacional, foram escolhidas como delegada eleita Elisenda França, Samuel Bastos como delegado nato e Bruna Athayde como observadora. Os delegados e delegadas para as conferências foram votados e escolhidos por unanimidade pelos trabalhadores e trabalhadoras presentes na conferência estadual.

“O Sintraf/AP agradece a presença dos colegas dos bancos públicos e privados que estiveram presentes na construção da minuta com nossas reivindicações. Também elegemos nossa delegação que vai participar das conferências específicas e a nacional, trabalhadores e trabalhadoras que vão defender nossas propostas e construir uma luta forte que conquiste mais direitos para os trabalhadores”, pontua o presidente do sindicato, Samuel Bastos. 

Link das fotos da conferência: Clique aqui 


Fonte: Giovane Brito/ Redação Sintraf/ AP


27 views0 comments

Comments


bottom of page