top of page
  • sintrafap

Sintraf-Ap cobra justiça após os atos de vandalismo do último domingo

Updated: Jan 13, 2023

Os ataques aos Três Poderes geram um prejuízo que pode ultrapassar R$ 7 milhões aos cofres públicos.

Foto: Girlene Dias/Ascom Sintrafap

Na segunda-feira (09), manifestantes tomaram as ruas do país como forma de se mobilizar contra os ataques terroristas que aconteceram em Brasília, no Distrito Federal (DF) no domingo (08). Durante os ataques a democracia e ao patrimônio público, os prédios dos Três Poderes como Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF) foram depredados e tiveram obras de artes, móveis históricos, entre outros bens danificados e roubados.


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou intervenção na segurança do DF e o STF afastou temporariamente o governador Ibaneis Rocha (MBD), em razão do que foi considerado omissão perante de um cenário que já estava sendo orquestrado desde a ocupação em frente aos quarteis, após o resultado oficial da eleições no dia 30 de outubro de 2022. Chefes de Estado e de governo condenaram o atentado à democracia e respaldaram decisões anunciadas pelo presidente.

Foto: Girlene Dias/Ascom Sintrafap

Diante de todo esse cenário movimentos populares, sindicais e partidários convocaram atos em favor da democracia que aconteceram não somente no Brasil, mas também em países como Estados Unidos, França e Suíça. Nas ruas palavras pedindo justiça e a não anistia ecoavam.


No Amapá, o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Estado do Amapá (Sintraf-Ap), a CUT-Ap, o Movimento de Estudantes Amapaenses e demais entidades sindicais convocaram a população para uma ação que aconteceu na Praça Veiga Cabral para esboçar todo o descontentamento popular com os acontecimentos recentes.

Foto: Girlene Dias/Ascom Sintrafap

O Presidente do Sintraf-Ap Samuel Bastos, afirmou durante sua fala no Ato que “Nós não podemos aceitar que a democracia seja violentada dessa forma! Que essa violência não se torne uma realidade em nosso país, pois ela não faz parte da cultura do brasileiro. E nós vamos exigir da justiça, da polícia e dos órgãos que fiscalizem e processem cada um daqueles que invadiu e depredou o patrimônio público”, discursou.


Em nota, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) declara que os atos de domingo além de intoleráveis são ataques a democracia e tentam derrubar um governo eleito pelo povo sendo um atentado direto ao Estado Democrático de Direito.


E reiteram que “Tais atos extrapolam os direitos de manifestação e da livre expressão. São ações terroristas, que visam o Golpe de Estado. Os órgãos de Justiça devem identificar os participantes e apurar a responsabilidade daqueles que praticaram, mas também de quem os financiou e incentivou, assim como as possíveis omissões dos órgãos e suas administrações”, afirmam.


Para a Secretária Geral, também do Sintraf-Ap, Bruna Athayde, “O episódio de ontem está longe de mostrar respeito a pátria, a coletividade, a democracia, a seriedade do processo eleitoral e acima de tudo [..] precisamos pressionar para que as autoridades políticas tomem as medidas necessárias para que se faça respeitar o Estado Democrático”, declarou.

Foto: Girlene Dias/Ascom Sintrafap

Amanda Isis/ Ascom Sintraf-Ap

Comments


bottom of page