top of page
  • sintrafap

MPT recomenda que a Caixa não pague salário a Pedro Guimarães

Após o afastamento de Pedro Guimarães da presidência da Caixa por conta das acusações de assédio sexual e moral, o Ministério Público do Trabalho recomendou que o banco não pague a “remuneração compensatória” ao ex-presidente.

Em 5 de julho, Daniella Marques tomou posse como presidente da Caixa. “A remuneração compensatória durante o período de impedimento de que trata o Art. 6º da Lei nº 12.813/2013 pressupõe que o cargo público tenha sido exercido em situação de legalidade e atendendo aos demais princípios da Administração Pública, presunção esta que se encontra comprometida diante das denúncias em questão”, diz trecho do documento encaminhado pelo procurador Paulo Neto a Daniella Marques. Na peça, Neto ainda afirma que “toda forma de assédio constitui uma violência psicológica, passível de produzir graves danos à saúde mental e física das trabalhadoras e dos trabalhadores”. Em 4 de julho, Paulo Neto conduziu uma inspeção na sede da Caixa, em Brasília, a fim de obter detalhes sobre a dinâmica de trabalho no banco. O MPT abriu em 29 de junho uma investigação preliminar sobre as acusações contra Guimarães.




Fonte: Apcef/SP

2 views0 comments

Yorumlar


bottom of page