top of page
  • Writer's picturesintrafap

Minuta de reivindicações da categoria vai à votação em todo o país

Assembleias serão realizadas nesta quinta (13), para que bancárias e bancários das bases representadas pela Contraf-CUT possam deliberar sobre minutas de reivindicações para renovação da CCT e dos ACTs

Sindicatos de bancários de todo o país realizam, nesta quinta-feira (13), assembleias para que a categoria possa deliberar sobre a minuta de reinvindicações, aprovada domingo (9) durante a 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, com previsão de vigência para o próximo biênio. Também serão submetidas à votação por assembleia as minutas de reivindicações aos Acordos Específicos de Trabalho (ACTs) dos bancos públicos e do Santander.

Somente após a aprovação nas bases é que se dará início às negociações da Campanha Nacional com a Federação Nacional do Bancos (Fenaban), para a renovação da CCT e dos ACTs por bancos. 

"Todos os bancários e bancárias das bases sindicais, representadas pela Contraf-CUT, poderão participar das assembleias", explicou o secretário-geral da confederação, Gustavo Tabatinga. “A maior parte das entidades irá utilizar o link de votação bancarios.votabem.com.br, entretanto, algumas poderão utilizar um sistema próprio, como o Zoom ou até de forma presencial. Portanto, o bancário ou a bancária deverá consultar o site da sua entidade para se informar", continuou.


Construção coletiva

As propostas da minuta foram o resultado de uma série de discussões feitas em conferências estaduais e regionais, em todo o país, e também com base na Consulta Nacional da categoria que, neste ano, contou com a participação de 46.824 respondentes, sendo que, desse total, 28% não associados aos sindicatos da categoria.

"A construção da minuta é uma construção coletiva, para garantir a ampla representatividade da categoria. Por isso, até chegar este momento, de votação da minuta, antes de ser entregue à Fenaban, as propostas são debatidas em várias instâncias, em todo o país, até chegar na Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, e nas conferências por bancos, onde definimos os documentos que voltam às bases para serem votados", explicou a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, que também é coordenadora do Comando Nacional dos Bancários.

Assim que aprovados pelas bases e enviados para as negociações com a Fenaban e com os bancos, começará a Campanha, tanto para a renovação da CCT da categoria, quanto para a renovação dos acordos específicos (ACTs) dos bancos públicos e do Santander, também com previsão de vigência para o próximo biênio. “Mais uma vez, a unidade é fundamental, para mantermos as cláusulas conquistadas e avançar em novas cláusulas, lembrando que, ao longo dos anos, a nossa categoria já demonstrou capacidade de organização de luta e, acreditamos que, em 2024 não será diferente", completou Juvandia Moreira.



A seguir, os eixos da pauta de reivindicações aprovados na 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro:


•Aumento real de 5% (inflação + 5%), PLR maior e ampliação de direitos

•Fim do assédio e dos instrumentos adoecedores na cobrança de metas

•Representação de todos os trabalhadores do ramo financeiro

•Defesa dos empregos, considerando os avanços tecnológicos no trabalho bancário

•Redução da taxa de juros para induzir o crescimento econômico e geração de emprego e renda

•Reforma tributária: tributar os super ricos e ampliar a isenção do IR na PLR

•Fortalecimento das entidades sindicais e da negociação coletiva

•Ampliação da sindicalização

•Fortalecimento do debate sobre a importância das eleições de 2024 para a classe trabalhadora na defesa de seus direitos e da democracia: eleger candidatos e candidatas que tenham compromisso com as pautas dos trabalhadores



Fonte: Contraf/CUT.

0 views0 comments

Comments


bottom of page