Entidades sindicais se reúnem, por vídeo, com Banco da Amazônia contra o avanço da Covid-19

Sindicato dos Bancários e Fetec-CUT/ CN solicitaram ao banco esclarecimentos sobre quais medidas estão sendo adotadas para proteger empregados, clientes e usuários contra a pandemia da Covid-19 que, no Pará, já infectou 5 pessoas, 4 somente na capital.

O Banco da Amazônia informou que criou um comitê de crise para resolver exclusivamente casos emergenciais e pontuais. Também, disse que, no momento, não irá aplicar o disposto na Medida Provisória Nº 927/2020, no que diz respeito aos contratos de trabalho, sobre demissões e redução de salários.

GRUPOS DE RISCO Todos os bancários e bancárias que estão no grupo de risco, ou que moram com pessoas que pertençam a esse grupo, foram dispensados para trabalharem sob o regime de home office.

Aqueles que retornaram de viagem de fora do estado ou países com casos confirmados, foram dispensados de suas atividades e também estão trabalhando sob o regime de teletrabalho.

Além disso, o banco suspendeu todas as atividades que possam ter aglomeração de pessoas (reuniões, treinamentos, cursos).

“Aos que podem fazer home office que o banco garanta estrutura para tal, e os que precisarem ir, transporte seguro, aos pais e responsáveis que não tem com quem deixar os filhos possam fazer teletrabalho Precisamos avançar nos cuidados de cada caso que recebemos diariamente”, destaca o presidente do Sindicato, Gilmar Santos.

ATENDIMENTO No âmbito público, a empresa informou que suspendeu todos os atendimentos presenciais, ressalvando apenas os casos em que os canais eletrônicos não são suficientes para atender a demanda de clientes e usuários.

Os gerentes gerais das unidades de atendimento estão orientando o público a procurarem os canais de comunicação alternativos, como o internet banking, e terminais de auto-atendimento.

Além disso, o banco informou que está disponibilizando álcool em gel e máscaras aos empregados e empregadas que estiverem no local de trabalho.

“O banco precisa ser rígido com as restrições de atendimento presencial, priorizando veemente os canais alternativos por tempo indeterminado, pois não sabemos ate quando essa pandemia vai continuar fazendo novas vítimas ate que possamos sair seguros de nossas casas Esperamos que logo e que as empresas tenham empatia e cuidem dos seus empregados, essa luta e de todos e todas!”, avalia o diretor da Fetec-CUT/CN e diretor do Sindicato, Sérgio Trindade.

PLR As entidades cobraram o adiantamento do pagamento da PLR, referente ao exercício 2019. O banco demonstrou possibilidade de fazer o crédito de parte do benefício, com data a ser definida.

TERCEIRIZADOS O banco informou que já dispensou grande parte dos terceirizados que não exercem atividades essenciais e, aqueles que fazem a limpeza dos setores, estão sendo adotadas escalas de revezamento.

A reunião foi por vídeo conferência. Pelo Sindicato, representaram a entidade o presidente, Gilmar Santos, e o assessor jurídico, Luiz Fernando Galiza. Pela Fetec-CUT/ CN, o diretor Sérgio Trindade, que também é secretário-geral do Sindicato e coordenador da mesa de negociações com o banco.

Pelo banco participaram da reunião, o gerente de Suporte Operacional, Francisco Moura, a gerente Executiva de Gestão de Pessoas, Bruna Picanço, e a coordenadora do CAGES, Simone Dias.

Fonte: Bancários PA

0 views0 comments