top of page
  • sintrafap

CN2022: Basa segue sem avanços nas negociações

A 7ª mesa foi mais uma rodada de negociações onde o Banco da Amazônia se limitou a negar reivindicações dos seus empregados

Na 7ª rodada de negociações da Campanha Nacional 2022 com o Banco da Amazônia, realizada na tarde desta quarta-feira 10/08, de forma virtual, o que houve foi o mais do mesmo: os representantes do Basa limitaram-se a negar inclusão de pautas de reivindicações dos empregados no Acordo Coletivo de Trabalho, ou a dizer que os pedidos da categoria não se aplicam ao ACT.


Um dos temas cruciais para o funcionalismo da Basa que foi debatido na reunião de hoje foi a atualização do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração – PCCR, que está defasado há quase 30 anos.


Porém, o que o Banco trouxe para a mesa foi apenas relembrar que a proposta de atualização do PCCR apresentada em 2019 à Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – SEST foi negada pela reguladora do Banco; que os estudos de atualização da tabela do Plano seguem em andamento através de uma nova consultoria contratada; e que o Basa continuará a seguir as orientações da SEST para tratar o PCCR como uma questão administrativa, sem clausular no ACT. Os representantes do Banco não apresentaram nenhuma previsão para apresentar às entidades uma nova proposta de atualização de tabela do Plano.


As entidades sindicais fizeram duras críticas ao Banco da Amazônia na condução do debate em torno dessa reivindicação histórica dos seus empregados, para a qual o Basa diz haver interesse e empenho, porém nada realmente se efetiva.


Para as cláusulas econômicas, o Basa afirmou que somente irá se pronunciar após apresentação da proposta na mesa da Fenaban.


A próxima rodada está agendada para sexta-feira 12, 14h, na matriz do Basa, para debater a Participação nos Lucros e Resultados – PLR.


Os empregados do Banco da Amazônia foram representados na reunião de hoje pela presidenta do Sindicato dos Bancários do Pará, Tatiana Oliveira; pelos diretores do sindicato e empregados do Basa, Sérgio Trindade e Cristiano Moreno; pelo diretor do SEEB Rondônia e empregado do Basa, Ricardo Vitor; além da diretora da Contraf-CUT, Rosalina Amorim, com assessoria jurídica de Célia Menezes, do escritório Mary Cohen Advocacia Trabalhista e Sindical.


O Banco da Amazônia foi representado por Francisco Moura e Bruna Paraense, com a secretaria Daniela Vasconcelos.


Confira abaixo o resumo da 7ª rodada com o Basa:

Reivindicações da minuta negadas pelo Banco


ARTIGO 7°. ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO


ARTIGO 8°. GRATIFICAÇÃO SEMESTRAL


ARTIGO 29. QUADRO DE APOIO. PROMOÇÃO


ARTIGO 38. PISO DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR


ARTIGO 39. SALÁRIO INICIAL


ARTIGO 52. PLANO DE SAÚDE PARA APOSENTADOS


ARTIGO 54. PLANO DE SAÚDE E ODONTOLÓGICO


ARTIGO 56. MELHORIA DA INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES


ARTIGO 66. RECOMPOSIÇÃO SALARIAL


ARTIGO 71. GRATIFICAÇÃO POR PÓS-GRADUAÇÃO


ARTIGO 74. ABONO ATIVIDADE FÍSICA


ARTIGO 76. CONCESSÃO DE TÍQUETE “CIRIANA”


ARTIGO 79. DA REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DO BANCO


ARTIGO 83. REFORMA E REESTRUTURAÇÃO DOS ESPAÇOS DE TRABALHO


ARTIGO 86. EFEITO DAS NORMAS COLETIVAS


Reivindicações que o Banco vai analisar


ARTIGO 12. DESPESAS COM TRANSPORTE. Vai aguardar o que pode ser fechado na mesa da Fenaban para emitir posição final.


ARTIGO 65. EM DEFESA DO BANCO. Sindicato ficou de apresentar nova proposta de redação.


ARTIGO 80. PROMOÇÃO AUTOMÁTICA PARA OS TC’s, TB’S E QUADRO DE APOIO. O banco vai analisar se pode reduzir o tempo desta promoção, que hoje é de 180 dias para 90 dias, que foi a solicitação durante a mesa.


Fonte: Bancários PA

7 views0 comments

Commentaires


bottom of page