top of page
  • sintrafap

Apoio da Fenae à campanha Novembro Azul mira defesa da vida e combate ao preconceito

Foco é o combate ao câncer de próstata. Objetivo é reforçar que a prevenção é a melhor reação contra a doença

O mês de novembro chega para dizer a que veio. De um lado, uma campanha que visa conscientizar a população masculina sobre a importância das visitas ao urologista para o diagnóstico precoce de tumores na próstata. De outro, o incentivo a ações afirmativas de prevenção e de conscientização durante uma data que se transformou no maior movimento mundial em defesa da saúde do homem.


É a campanha Novembro Azul, que começa nesta quarta-feira (1º) e conta com o apoio da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), sempre em parceria com as Apcefs. O foco desta vez, em relação às entidades representativas do movimento associativo no banco público, é orientar os empregados de todo o Brasil sobre o câncer de próstata, o segundo tipo mais comum entre a população masculina, atrás apenas dos tumores de pele.


Com a consciência de que saúde também é papo de homem, a Fenae e as Apcefs alertam que a prevenção é a melhor reação contra a doença, que acomete um a cada seis pessoas do sexo masculino no Brasil. Para reafirmar a importância do diagnóstico precoce e do combate ao preconceito, o envolvimento das entidades associativas na campanha Novembro Azul visa propor compromisso com iniciativas que produzam impactos positivos na sociedade.


Para o presidente da Fenae, Sergio Takemoto, a estratégia mais adequada em relação ao câncer de próstata é uma abordagem mais integral da saúde do homem. Segundo ele, a doença pode ser driblada com algumas atitudes práticas e cotidianas. “A prevenção, aliada à luta contra o preconceito, se sintoniza com os valores defendidos pela Fenae, sobretudo na perspectiva da promoção do bem-estar”, argumenta.


Sergio Takemoto lembra que, na condição de entidades de defesa dos empregados da Caixa articulada com a oferta de programas de incentivos à vida saudável, a Fenae e as Apcefs priorizam o cuidado com as pessoas. E conclui: “Assim, as entidades associativas estão juntas no apoio a campanhas de alerta para atitudes saudáveis e de estímulo a exames preventivos à saúde de próstata”.


Dicas especializadas


A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) dá dicas de como diagnosticar o câncer de próstata, apontando como fundamental a realização do exame de toque e o de sangue, conhecido como Antígeno Prostático Específico (PSA). A recomendação é para que, a partir dos 50 anos, os homens procurem o especialista para os exames anuais. Pacientes com histórico familiar da doença devem procurar o médico mais cedo, pelo menos a partir dos 45 anos de idade.


É preciso ficar atento aos sinais do corpo. Procurar o médico com frequência é essencial para diagnósticos precoces e tratamentos mais eficientes. O medo e a vergonha não devem ser empecilhos para o cuidado com a saúde. A mudança de alguns hábitos no dia a dia é ainda muito bem-vinda. Também a hereditariedade atua, muitas vezes, como fator de risco. A redução de eventuais riscos é possível com controle do tabaco, prevenção ao uso de bebida alcoólica, prática de atividade física, alimentação saudável, combate ao sedentarismo e à obesidade.


Histórico sobre o Novembro Azul


A campanha denominada Novembro Azul surgiu na Austrália, em 2003, durante o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, comemorado em 17 de novembro. O movimento visa conscientizar os homens para que façam o exame de próstata periodicamente.


No Brasil, o Novembro Azul foi lançado oficialmente em 2008, por ocasião do 35º Congresso Brasileiro de Urologia, no Rio de Janeiro.


Fonte: Fenae

2 views0 comments
bottom of page