Após cobranças dos sindicatos, Santander anuncia novas medidas na pandemia

Banco informou que reduzirá número de funcionários trabalhando presencialmente; fechará temporariamente algumas agências e atendimento ao público será só até 14h; anunciou ainda a antecipação do 13º. Sindicato concorda com medidas, mas vai continuar cobrando fim das demissões e redução das metas

Após constantes cobranças do movimento sindical bancário, o Santander anunciou, nesta quarta-feira 24, novas medidas diante do avanço da pandemia no país. Veja os pontos do comunicado do banco:

– As equipes nos edifícios centrais serão ainda mais reduzidas. “Cada vice-presidente irá indicar quais equipes irão trabalhar de forma presencial ou remotamente ou aquelas que estarão em feriado nas cidades que anteciparam. Esses dias serão compensados com o banco de horas existente em cada vice-presidência em até 6 meses. Cada colaborador deve gerenciar seu bancos de horas juntamente com seu/sua gestor (a).” – Rede de agências: segundo o banco será fechado um grande número de lojas nas próximas duas semanas e o horário de atendimento ao público será reduzido para até 14h. A equipe de varejo informará quais lojas estarão temporariamente fechadas, e as equipes dessas lojas poderão ser direcionadas para ajudar no atendimento aos clientes de forma remota.

– Atendimento: o Santander diz que orientará os clientes, enviando comunicação específica, para que privilegiem o uso dos canais digitais.

– Banco informou que antecipará 100% do 13º salário a todos, com pagamento já no próximo dia 30 de abril.

– Banco reforçou a disponibilidade do PAPE (atendimento psicológico durante a pandemia) 24 horas por dia, 7 dias na semana.

O banco também garantiu ao Sindicato que o atendimento ao público nas agências será apenas para serviços essenciais, como pagamento de benefícios e desbloqueio de cartões. Para isto será mantido um contingente mínimo de funcionários que pode variar entre 15% e 40% do quadro, a depender da localidade e do fluxo de pagamentos. Informou ainda que os departamentos também terão redução do quadro no presencial.

Os sindicatos de bancários e o Comando Nacional dos Bancários concordam com as medidas, tendo discordância apenas na compensação das horas trabalhadas nos feriados. “Os acordos coletivos de trabalho vigentes garantem que as horas trabalhadas em feriados sejam pagas. Vamos tomar as medidas cabíveis em relação a isso”, diz a dirigente do Sindicato, Lucimara Malaquias, que coordena a mesa de negociação com o banco.

Cobranças continuam

A dirigente destaca ainda que, apesar de as ações anunciadas serem importantes, o Sindicato continuará cobrando outras medidas reivindicadas que não foram atendidas pelo banco, mas que são fundamentais para a categoria neste momento de pandemia, como a suspensão das demissões e a redução das metas. “Vamos continuar cobrando que o banco pare as demissões num momento como este, e reduza as metas que tanto têm preocupado e adoecido os trabalhadores”, reforça Lucimara.

Outra reivindicação é a oferta de vacinas contra a gripe aos trabalhadores. “Já solicitamos que o banco divulgue o calendário o quanto antes e o mesmo nos garantiu que até abril será divulgado”, informa a dirigente.

Ela destaca ainda que a antecipação do 13º salário é importante neste momento de incertezas e grave crise econômica. E ressalta que o Sindicato também reforçará a orientação para que os clientes utilizem os canais digitais, e para que os bancários que não trabalharem nos feriados fiquem em casa.

Redação Spbancarios

1 view0 comments