Acordo assinado: direitos do ACT garantidos e Saúde Caixa Para Todos

Luta em Defesa da Caixa 100% Pública e contra os privatistas do governo Bolsonaro continua!

Foi assinado, nesta sexta-feira, o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos empregados da Caixa, que valerá para os próximos dois anos. O ACT foi aprovado pelos trabalhadores do banco público em assembleias históricas, realizadas por meio eletrônico devido à pandemia de coronavírus, no âmbito da Campanha Nacional dos Bancários 2020. Ele garante, entre outros pontos, todos os direitos anteriores do último acordo, a PLR Social e o Saúde Caixa Para Todos, vencendo o teto de 6,5%, inserido no estatuto da Caixa em 2017, e mantendo o modelo de custeio baseado no pacto intergeracional, mutualismo e solidariedade. E ainda reajuste de 1,5% e abono de R$ 2 mil em 2020, mais ganho real de 0,5% (acima da inflação) em 2021 sobre todas as verbas de natureza salarial.

O dirigente Dionísio Reis, diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e membro da Comissão Executiva de Empregados da Caixa (CEE/Caixa), lembra, que mesmo com a assinatura do acordo, a representação dos empregados continuará na luta, ao lado dos trabalhadores, do povo brasileiro e demais entidades representativas, em defesa da Caixa 100% Pública e da valorização dos trabalhadores.

“O acordo, negociado arduamente com a direção da Caixa, garantiu direitos históricos, como o Saúde Caixa, o qual conseguimos evitar a aplicação do teto de 6,5% no ano de 2021, em continuidade à nossa estratégia de 2018 que evitou que o mesmo ocorresse em 2020. Além disso, ainda discutiremos melhorias no Saúde Caixa e a sua sustentabilidade em um grupo de trabalho específico. Em relação à PLR Social, é lamentável que o Pedro Guimarães tenha colocado um teto de três remunerações básicas na PLR como condição para manter esta conquista histórica dos empregados. Ao longo das negociações, a direção da Caixa mostrou indisposição em reconhecer a luta dos trabalhadores, que no dia a dia estão nas agências, nas áreas meio, no enfrentamento à pandemia”, enfatizou o dirigente.

“Diante disto e das ameaças privatistas dos vendilhões de tudo o que é público que hoje ocupam o governo, continuaremos em defesa da valorização dos empregados e deste patrimônio de todos os brasileiros que é a Caixa. Nossa luta continua principalmente contra a MP 995, e ocorre em diversas frentes: na convocação da sociedade para a luta; nas ruas e nas redes; na Justiça; e na atuação junto aos parlamentares”, acrescentou Dionísio.

Fonte: SPBancários

BANCO DO BRASIL, CAIXA, CAMPANHA 2020, CAMPANHA DOS BANCÁRIOS 2020, CAMPANHA NACIONAL DOS BANCÁRIOS 2020, CAMPANHA SALARIAL 2020, CAMPANHA SALARIAL BANCÁRIOS 2020, CAMPANHA SALARIAL DOS BANCÁRIOS 2020, COMANDO NACIONAL DOS BANCÁRIOS, FENABAN, PLR, PLR 2020, PLR DOS BANCÁRIOS, REAJUSTE SALARIAL, REAJUSTE SALARIAL DOS BANCÁRIOS 2020

1 view0 comments